Os tipos de memória e como trabalhar isso para um concurso público

Posted on Jan 16, 2017 in Dicas

Conhecer os tipos de memória vai ajudar muito a você passar em um concurso público. Isso, pois voê poderá otimizar os seus estudos e tornar tudo mais fácil de ser compreendido. Assim, muito tempo que você perderia tendo que fixar conteúdo, você pode ir direto para novos conteúdos. Sem contar que você conseguirá absorver tudo mais rápido e isso vai te ajudar muito nos estudos para um concurso.

concurso

O nosso cérebro é capaz de armazenar tantas informações que quando paramos para pensar sobre esse assunto, sentimos até um certo espanto, não é? Também é muito interessante conhecer os tipos de memória para que você possa ampliar os seus conhecimentos sobre o assunto.

A memória tem sido dividida de maneira diferente, isso depende de cada estudo, cada autor e etc, mas algumas informações acabam se encontrando e por isso temos mais “certeza” de que se trata de algo que realmente pode ser passado aqui para você… Isso tem total relação com a prova de um concurso público e o que você precisa de sua memória. Principalmente se for um concurso concorrido como o concurso do INSS!

Nós preparamos nesse artigo algumas informações interessantes sobre a memória e temos certeza que será do seu interesse.

Os tipos de memória: alguns fatores que você precisa conhecer

A memória é simplesmente diz respeito a nossa capacidade de conservar, inscrever e relembrar algum conhecimento, sensação, conceitos e pensamentos em um geral.

Alguns especialistas nesse assunto afirmar que existe várias memórias, pois muitas são as fontes de armazenamento de dados na nossa mente, nada fica limitado apenas em uma área do cérebro.

O fato é que o que nós realmente podemos afirmar, baseado em estudos que já foram feitos até nos dias atuais, é que existem dois tipos de memória em especial:

  1. Memória Declarativa

É através dessa memória que nós conseguimos reter alguma ideia, a ponto de saber quando foi que algo aconteceu, por exemplo.

Essa nossa memória fica focada em algum dom de conseguir expor verbalmente algum acontecimento, está totalmente ligado a recordação e é subdividida em: memória imediata (duração instantânea), memória de curto prazo ou de trabalho (leva algumas horas para desaparecer) e memória de longo prazo (diz respeito a intervalos de tempo maiores, de meses ou até anos).

  1. Memória de procedimentos

É nessa memória que fica reunido os dados que não podem ser oralmente expressos, podemos considerar que seja mais duradoura.

Com essa memória é possível ter a capacidade de lembrar ideias conservadas nas memórias que já foram citadas acima, por exemplo.

Agora você já conhece os principais tipos de memória! Como já mencionamos anteriormente, ainda existem vários estudos sobre esse assunto e com certeza, vamos poder descobrir muito mais.

A nossa Memória de Longo Prazo possui um processo de formação das informações que são captadas de maneira que podem duram por minutos, horas, meses e até mesmo décadas.

Os melhores exemplos desse tipo de memória para que você possa entender melhor, são as nossas recordações da infância, de algum conhecimento que foi adquirido ainda na época escolar ou de algum fato marcante.

Se você deseja aprender um pouco mais sobre essa parte interessante da nossa memória, continue conferindo esse artigo!

Memória de Longo Prazo: algumas informações interessantes sobre esse assunto

É na nessa memória que nós conseguimos ter acesso a informações importantes da nossa vida. É somente por conta de existência dessa memória, que nos tornamos capazes de buscar uma informação mesmo depois de décadas se passarem.

É fundamental que a gente consiga entender a diferença de uma memória considerada de longo prazo para as demais. Acontece que o armazenamento de informações dentro da memória de longo prazo afeta diretamente a nossa percepção de mundo e nos influencia até mesmo na hora de tomar uma decisão.

Essa memória é responsável pelas seguintes tarefas: armazenamento de informações, esquecimento e recuperação.

Os cientistas e especialistas no assunto acreditam que as informações que são armazenadas ficam interligada em uma grande “rede de esquemas”.

Esses esquemas podem ser entendidos como uma construção cognitiva que consegue categorizar a informação de maneira que a mesma possa ser tratada.

O fato é que a nossa memória em um geral, é capaz de coisas que podem até fugir da nossa compreensão, por isso é tão importante que todos os estudos sobre esse assunto continuem caminhando progressivamente, pois quanto mais for possível entender, melhor será para o nosso autoconhecimento.